Blog do ligeiro

UFMA apresenta boas práticas de transparência e gestão aos órgãos de controle

 


SÃO LUÍS – Melhoria da governança, atualização da estrutura organizacional, implementação de ainda mais dados via Portal da Transparência, modernização dos processos por meio de ferramentas digitais, constituição do Comitê de Integridade e Transparência foram algumas das ações elencadas em videoconferência que reuniu o reitor Natalino Salgado, pró-reitores, superintendentes, técnicos da gestão da UFMA e representantes da Superintendência da Controladoria Geral União no Maranhão (CGU-MA) e do Tribunal de Contas da União no Estado do Maranhão (TCU-MA). O encontro teve o objetivo de mostrar ferramentas para a implantação de uma política de transparência e modernização na Universidade Federal do Maranhão.

O reitor Natalino Salgado ressaltou a importância de a Instituição implantar a política de modernização e transparência de modo a otimizar os serviços e tornar acessíveis as informações da instituição para a sociedade. “É fundamental dentro de nossa política de revigoração da Universidade para enfrentar desafios futuros e corrigir problemas históricos. A meta da nossa equipe é dar transparência aos nossos processos de ensino, pesquisa e extensão, com interação com os órgãos de controle”.

O pró-reitor de Planejamento, Gestão e Transparência (PPGT), Walber Lins Pontes, deu início à apresentação mostrando as ações voltadas para a melhoria da governança, integridade e transparência, que inclui a atualização da estrutura organizacional, de modo a, entre outras iniciativas, padronizar nomenclaturas, atualizar o regimento da reitoria (que tinha sua última versão datada de 1979), suprimir conflitos normativos, implementar ações de transparência às ações institucionais via Portal da Transparência e implantar o Comitê de Integridade e Transparência (CGIT) na Universidade.
“Somos constantemente demandados pela AGU e pela CGU para apresentarmos dados sobre os processos institucionais, também por meio do código de ética e reavaliação dos instrumentos contratuais. Então esse é um conjunto de ações que estabelecemos como primordiais para o início do trabalho de modernização, tendo em vista que nossa nova estrutura incorporou esse ambiente de transparência e acompanhamento. Isso culmina com a constituição de nosso Comitê de Integridade e Transparência, constituído pela gestão superior e presidido pelo nosso reitor”, declarou o pró-reitor Walber Pontes.

Também foram mostradas as ações planejadas pelo recém-implantado Escritório de Processos, institucionalizado por meio da Portaria GR 125/2020-MR e ligado à Superintendência de Tecnologia da Informação (STI), na ocasião, representado pelo servidor Ricardo Ferreira. O foco é proporcionar um modelo de gestão integrada dos processos de trabalho da Universidade, com inspiração em experiências bem-sucedidas implementadas no Hospital Universitário (HU-UFMA).

O Escritório de Processos terá a função de gerenciar a mudança de um modelo de gestão para outro; promover treinamentos dos colaboradores para melhores práticas de gestão nos processos; implementação da metodologia de gestão para estabelecer padrões, regras e medidas de desempenho; reduzir o grau de exposição aos riscos, entre outras ações. O órgão também dará início a um Programa de Integridade que, entre diversos outros objetivos propostos, promoverá a revisão das cláusulas dos instrumentos contratuais, de forma a garantir mais transparência e eficiência nesse campo de atuação da UFMA.

O superintendente de Tecnologia da Informação, Anílton Maia, realçou o planejamento da UFMA para o redesenho da governança na Instituição, levando em consideração a segurança da informação e a governança digital exigida pelo Governo Federal.

“Com isso, o que levava dias para ser aprovado pode ser confirmado em horas, melhorando a governança de dados, garantindo transparência de nossos processos à sociedade. A ideia é dar eixos para que todos tenham acesso às informações e gerar uma nuvem de dados acessível para a sociedade. A Universidade, portanto, vai em direção a seis pilares de modernização pregados nas instituições atualmente, de ser centrada no cidadão, integrada, inteligente, confiável, transparente e aberta eficientemente, com acesso de dados em tempo real”, pontuou o superintendente.

Anílton Maia lembrou a experiência de sucesso do Hospital Universitário na área de governança, integridade e transparência, modelo para as inovações implantadas agora na UFMA.

A apresentação foi muito elogiada pelo superintendente substituto da CGU-MA, Arnaldo Guilherme de Oliveira, e pelo secretário de Controle Externo do TCU-MA, Alexandre José Caminha Walraven, que gostaram das ações da Instituição para remodelar o acesso de informações e a transparência institucional da UFMA. “Estou surpreso com a maturidade do trabalho. Dá para perceber que houve um esforço grande para desenvolver todas essas ações. A CGU tem insistido no aspecto da integridade nas instituições federais, e é justamente isso que a UFMA propõe, o que os órgãos de controle esperam”, avaliou o superintendente substituto da CGU-MA.

Alexandre José Caminha Walraven concordou com Arnaldo de Oliveira e ressaltou o empenho da UFMA na garantia da transparência. “É neste momento de caos que a sociedade consegue superar desafios e gerar avanços, e com a UFMA não foi diferente. Gostei muito da apresentação, mostra que vocês estão alinhados com essa nova expertise da administração pública, que é viabilizar a transparência. É isso que a sociedade quer: não só ver, ler os dados e os números, mas entender o que está ali”, salientou.

A superintendente do Hospital Universitário da UFMA, Joyce Lajes, também teceu elogios ao planejamento da instituição para a integridade e transparência nos processos. “O Escritório de Processos é importantíssimo atualmente, pois, quando bem-utilizado, traz grandes benefícios para a instituição. Estou feliz em ver como a Universidade está avançando em seus processos de trabalho. Parabenizo à gestão pelo esforço e pela iniciativa”, destacou.

Deixe uma resposta