Blog do ligeiro

Tudo novo de novo!


Chegou a hora de recomeçar, “vamos começar colocando um ponto final, pelo menos já é um sinal, que tudo na vida tem um fim”. E antes que o leitor se decepcione, alerto que aqui nascerão palavras de puramente reflexão do que foi esse ano e do que se espera para o próximo que está beirando a nascer, então preparem-se é capaz de vir a ser um grande clichezão pela frente.
Retomando ao nosso derradeiro texto, revelo que fiz questão de levantar cedo, bem mais cedo que o comum, para que eu pudesse aproveitar intensamente o último dia de 2013 e como bem me lembro agora, ao me despedir em 2012, cravei: “2013 será o ano”. E de fato foi, vivi experiências nunca vividas, obtive conquistas, perdi coisas, me desprendi de outras, reafirmei sentimentos, enfim celebrei a vida, por isso tanta questão de aproveitar as últimas horas deste ano e este texto é uma forma de externar isso. 
Porém chegou o fim e um novo recomeço está quase pronto. 2014 bate a nossa porta, será um intenso ano, sei que você pensou logo na política, mas pelo menos nessa postagem, vamos deixa-la de lado, faz um bem e tanto, esquecer disso por alguns momentos.
Decidi que 2014 será um ano de coragem e isto pode servir para todo mundo, pois é com esse sentimento que conhecemos o novo, mas não quero viver isso sem olhar para trás, sem esquecer do que e de quem me acompanha, pois sem eles seria impossível continuar. No entanto, deixarei de desejar e passarei a fazer mais, a ideia é essa, passar para o plano das atitudes e não só do pensar. 
Todo mundo fala que a vida é cercada por escolhas, de fato, mas é impressionante como na maioria dos casos as nossas decisões são por aquelas opções mais óbvias e fáceis. A partir de agora, a ordem não é tornar as coisas mais difíceis, mas fazer com que elas valham apenas e não simplesmente, escolher por escolher.
Viver requer sabedoria. Saber a hora de viver a felicidade, a tristeza, a raiva, a euforia, a dor, a vitória, a derrota, o desânimo e principalmente o encorajar.
Vamos recontar uma história, reescrever uma canção, repetir um passeio, tudo pode ser feito de outra forma e é praticamente o que realizamos sempre, afinal vivemos em um ciclo, as vezes ele se abre para ganhos e perdas, mas a volta da vida é praticamente a mesma, a diferença que podemos fazer diferente aquele mesmo caminho percorrido.
E se tivéssemos uma máquina do tempo, quantas vezes voltaríamos para tentar mudar alguma coisa? Me fiz essa pergunta ontem, ao assistir um filme, que vem a calhar com esse momento. Durante as cenas do longa, o roteiro tratou de responder: “não adianta querer voltar no tempo, viva cada de detalhe como se fosse único” e isso que temos de tomarmos.
Assim como foi iniciado, finalizo. A hora de recomeçar chegou, não percamos a coragem de fazer aquilo que nos faz bem, depois de 2013, depois que vivi em alta pressão, tanto no sentido figurado como literal, aprendi mais do que nunca que: “o que a vida quer da gente é coragem”, como já dizia Guimarães Rosa, pois assim embrulhamos tudo, esquentamos e esfriamos, apertamos e afrouxamos, a vida sossega e desinquieta, e aqui estou inquieto por esperar tudo de novo, mas de forma diferente, afinal a vida é um sopro no tempo.
Um excelente 2014 a todos!

Deixe uma resposta