Blog do ligeiro

Prefeito de Vargem Grande transforma administração em negócio de família

O prefeito Carlinhos Barros (PC do B), do município de Vargem Grande, distante cerca de 175 km da capital São Luís, transformou sua gestão em um verdadeiro negócio de família, contrariando entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) vedando a prática de nepotismo em qualquer esfera da administração pública.

Eleito em 2016, pregando moralidade e zelo com a coisa pública, CB mantém na Prefeitura diversos parentes, que ocupam cargos nos primeiro e segundo escalões.

José Barros e João Barros, irmãos do comunista, dirigem as poderosas Secretarias Municipais de Obras e Saúde, respectivamente, pastas que detém orçamentos mais do que robustos.

Para o cargo de secretário municipal de Esporte, o prefeito nomeou o próprio filho, Erick Barros.

A esposa e primeira-dama, Olene Barros, também foi agraciada. Ela dirige a Secretaria Municipal de Assistência Social.

O orçamento da Prefeitura, movimentado via Secretaria Municipal de Finanças, é gerido por Rodrigo Martins, primo legítimo do prefeito.

Outros dois irmãos de Carlinhos, Jota Barros e Sérgio Barros, foram nomeados para os cargos comissionados de bioquímico e engenheiro.

Até parentes mais distantes também foram agraciados pelo prefeito. Michele Barros, que é sua cunhada, coordena o Centro de Referência da Assistência Social (CRAS).

Já Cassiane Garreto, que é cunhada de José Barros, foi nomeada secretária municipal de Meio Ambiente.

Ações – A farra de nepotismo patrocinada por Carlinhos Barros foi, ainda no ano de 2017, denunciada à Procuradoria Geral de Justiça do Maranhão.

Uma representação cível foi protocolada, à época, pelos vereadores Jociédson de Aguiar, Maria da Conceição e Silva de Oliveira, Farid Antonio Trabulsi e Francisco das Chagas Bezerra da Silva.

Naquele mesmo ano, o então promotor de Justiça Benedito Coroba ingressou com uma ação pública, por ato de improbidade administrativa, na qual pleiteou a indisponibilidade dos bens de Carlinhos Barros.

O objetivo do pedido era garantir o ressarcimento dos valores acrescidos ilicitamente, de janeiro a setembro de 2017, ao patrimônio de Antonio Garreto de Sousa, Carla Danielle Mesquita de Mesquita e Maria Gorete Leite Costa – todos possuidores de relações de parentesco com o gestor.

Outro lado – O editor do Blog encaminhou ontem à Secretaria Municipal de Comunicação de Vargem Grande, via e-mail, solicitação de posicionamento acerca do tema.

O e-mail ainda não foi respondido e o espaço permanece aberto para que sejam feitos os devidos esclarecimentos.

Deixe uma resposta