Blog do ligeiro

Paciente idoso vive drama para ser submetido á cirurgia no Socorrão I

denunciaO paciente Antonio Ericeira Pinto, 73 anos, da Enfermaria 12, leito 76, do Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão I), espera há dez dias ser submetido a uma cirurgia da coluna cervical, que só é feita no Hospital Universitário (Presidente Dutra), do sistema público federal de Saúde. Segundo o médico neurocirurgião Gelson Soeiro, Chefe da Equipe de Neurocirurgia do Dutra, falta material para que o procedimento cirúrgico possa ser realizado.
Antonio Ericeira Pinto foi atacado por um boi “carroceiro” sábado (16), em sua pequena propriedade, localizada no município de Igarapé do Meio. O golpe recebido o atirou ao chão de uma altura de dois metros. Socorrido por populares, recebeu os primeiros atendimentos no Hospital Municipal daquela cidade, depois foi transferido para o Hospital Regional de Monção, que o encaminhou para São Luís.
Antonio Ericeira na maca de uma enfermaria no Socorrão I

Antonio Ericeira na maca de uma enfermaria no Socorrão I
Foi recebido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), do Vinhais, no domingo(17) e encaminhado para o Socorrão I no mesmo dia, onde foi submetido aos exames de Raio X e Tomografia. Os exames acusaram lesões em várias vértebras e na coluna cervical. Para se chegar a um diagnóstico mais completo, a equipe médica do Socorrão I solicitou uma ressonância magnética.
Os familiares do paciente tiveram que arcar com os custos porque a rede pública municipal não fazia o exame devido a problemas nos equipamentos. Para fazer a condução do paciente a uma clínica particular foi um “Deus nos acuda” porque quando tinha ambulância, faltava socorrista ou maqueiro. Depois de conduzido à clínica, o paciente ficou duas horas e meia esperando ser levado de volta. Segundo a equipe médica do Socorrão I, o exame de ressonância aponta a necessidade urgente de uma cirurgia da coluna cervical.
Diante da demora da transferência do paciente para o Dutra, justificada pela Central de Internação de Leitos (CIL) devido à falta de leitos naquela unidade de saúde, os familiares do paciente tiveram a informação do Setor de Internação de que não havia material para fazer a cirurgia, o que foi confirmado pelo Chefe da Equipe de Cirurgia do Hospital Dutra.
Aos familiares não restou outra alternativa que não recorrer ao Ministério Público de Saúde da Capital, cujo requerimento solicitando providências foi distribuído para a 1ª Promotoria de Saúde de São Luís, que tem como titular o promotor Herbert Figueiredo. O poder público municipal foi notificado para num prazo de cinco dias, a partir da ciência do caso, realizar a cirurgia que o paciente necessita.
Os familiares de Antonio Ericeira estão indignados com tamanho descaso e receosos de que o paciente, devido a sua idade e demora do atendimento cirúrgico, sofra sequelas e venha a contrair infecção hospitalar. “Estamos revoltados diante da situação que estamos vivendo. É um verdadeiro filme de terror. Como é possível que um paciente que precisa de uma cirurgia ficar esperando indefinidamente por um atendimento. Vamos responsabilizar judicialmente todos os culpados por esse drama que estamos vivendo”, desabafou indignado Antonilson

Deixe uma resposta