Blog do ligeiro

Necessidade pelo primeiro lugar faz Superclássico ficar mais acirrado

Rodrigo Ramos é goleiro do Moto Club (MA) (Foto: Welliandrei Campelo / Moto Club)Rodrigo Ramos falou sobre o momento decisivo do clube (Foto: Welliandrei Campelo / Moto Club)
Classificado para a semifinal do primeiro turno do Campeonato Maranhense, o Moto Club vai decidir contra o Sampaio em qual posição avança para o ‘mata-mata’. Ficar em segundo faz o Moto jogar, inicialmente, sem vantagem contra o Maranhão. Por outro lado, se for o primeiro do grupo A pega o Cordino com a decisão em São Luís e a possibilidade de se classificar em caso de igualdade no placar agregado.
E não existe nem dúvidas para o goleiro Rodrigo Ramos de que avançar em primeiro é a meta perseguida pelo time motense. Desta forma, no Superclássico de domingo, a vitória é necessária. Outro resultado inviabiliza a primeira colocação da equipe.
– Temos que lutar pela vantagem. Todo mundo quer terminar em primeiro para ter vantagem na semifinal e possível final. Nós não somos diferentes. Queremos sim esta vantagem, por isso, vamos buscar uma vitória contra o Sampaio – disse o goleiro.
Mesmo com os times classificados, mas com esta briga pela primeira colocação acirrada, o goleiro acredita em um bom público no domingo. 
O capitão do Moto também falou sobre os reforços que estão chegando ao time nesta reta decisiva do primeiro turno.- O jogo ganhou força e isso é bom para motivar o torcedor a comparecer ao estádio e também motiva bastante nós jogadores – declarou.
– Os jogadores que estão aqui até agora deram conta do recado, mas para ser campeão é preciso ‘algo mais’. Então a gente espera que com esses novos jogadores, o grupo possa se encorpar mais e a gente consiga ter boas opções para as partidas decisivas para surpreender os adversários – concluiu.
O Superclássico está marcado para começar às 16h de domingo, no Castelão, e vale pela última rodada da fase de classificação do primeiro turno. Na partida anterior entre os dois, o Moto perdeu por 1 a 0.

Deixe uma resposta