Blog do ligeiro

Após denúncia do Deputado Wellington, Câmara de Vereadores de Imperatriz não descarta criação de CPI

Em recente passagem pelo município (28/08/2015), o Deputado Estadual, que também é vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão, ao receber denúncias sobre o descaso que ocorre no HMI, resolveu fazer uma visita de inspeção, checando ala por ala da instituição e constatou perplexo o profundo grau de desumanidade com os pacientes e seus familiares que está ocorrendo no Socorrão de Imperatriz sem que ninguém interfira, sem que ninguém tome uma atitude.
IMG-20150831-WA0037
Na sessão da ultima segunda-feira (31) na ALEMA, o Wellington aproveitou para destacar a situação:“O péssimo atendimento da saúde pública no Socorrão de Imperatriz é evidente, é estarrecedor. Pessoas sendo atendidas nos corredores, professor Marco Aurélio, deputado atuante da região Tocantina, pessoas sendo atendidas nos corredores, nas macas. Nós constatamos duas pessoas sendo atendidas recebendo, ingerindo soro, segurando com a mão no corredor, uma outra senhora segurando a bolsa de soro, no colo, nas pernas”.  Na ocasião, o Deputado, para cobrar ações da casa e dos colegas, citou ainda o artigo 196 da Constituição que reza que: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. 
Até onde se pode perceber o Professor e Deputado Marco Aurélio (PCdoB), que é ex-vereador da cidade de Imperatriz, estranhamente não vem se preocupando tanto com o que ocorre na realidade da saúde do município. Por que será?! Fica o questionamento. Já com relação às cobranças do Deputado Wellington e da Comissão de Direitos Humanos da ALEMA, o Deputado já protocolou requerimentos solicitando esclarecimentos da Secretaria de Saúde do Município de Imperatriz sobre o disparate que ocorre no HMI – Socorrão, além de demandar visitas de inspeção por parte do Centro de Apoio Operacional de Saúde – CAOP da saúde (órgão do Ministério Público Estadual) e também da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa.
Após estas denúncias do Deputado Wellington do Curso, vereadores da Câmara Municipal de Imperatriz já se mobilizaram ontem (01) para solicitar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para averiguar toda a situação de várias denúncias no Ministério Público envolvendo a Secretária de Saúde do Município, Conceição Madeira, o ex-secretário Mamede Vieira, o ex-diretor do Hospital Municipal de Imperatriz Clóvis Dias e o atual diretor Alisson Mota que se caso provado, podem ser punidos com perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor das remunerações dos agentes públicos envolvidos e proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos.
É com atitudes como essa do Deputado como Wellington do Curso que vemos quem realmente está preocupado com alguma coisa e atuando de verdade naquela Assembleia!

Deixe uma resposta