Blog do ligeiro

A FALÁCIA DO LOCKDOWN

             João Melo e Sousa Bentivi

Esse termo lockdown, que não está no nosso ordenamento jurídico, virou um mantra, em português representado como o tal FIQUE EM CASA. Como a maldade, hipocrisia e mau caratismo se tornaram vigentes, descubro facilmente isso em cada defensor intransigente dessa tese, ressalvando-se um ou outro inocente útil.
O primeiro grande defensor público do FIQUE EM CASA (e volte para ser entubado e morrer) foi um sujeito asqueroso chamado de Mandetta. O aconselhamento tinha uma maldade pior que a dos nazistas, quando mandavam os judeus para câmara de gás: lá, na Alemanha, o sujeito ia para a morte obrigado, aqui, no Brasil, pelo Mandetta, ele foi para a morte convencido.
Bolsonaro demorou em mandá-lo para o “quinto-dos infernos”. Antes tarde, do que nunca.
Qual a justificativa racional ou científica do FIQUE EM CASA? Ninguém apresentou um só documento científico que prove a eficácia dessa medida e a única justificativa, no início da pandemia, quando o vírus chinês ainda iniciava a sua caminhada, era o SUS ganhar tempo suficiente, preparando uma estrutura que pudesse suprir as necessidades sanitárias.
O FIQUE EM CASA é a mais perfeita inovação da burrice. Na história da humanidade sempre existiram epidemias e contágios e sempre foram tratados com o isolamento dos doentes, nessa burrice do FIQUE EM CASA, defendido por esquerdopatas e mal intencionados (no fundo a mesma coisa) preconiza-se o isolamento dos sadios.
No passado, enquanto os doentes ficavam no “fique em casa”, os sãos trabalhavam para prover a sobrevivência de todos, tanto doentes como sãos. A mais perfeita lógica que somente um esquerdopata não aceita.
Uma observação pertinente. Nós, críticos do FIQUE EM CASA, em nenhum momento somos contra as medidas de segurança e a vacina. Essa é uma narrativa mentirosa, pulha, característica dos indivíduos esquerdopatas.
Os exemplos de que o FIQUE EM CADA é contraproducente acumulam-se no mundo. Nos Estados Unidos são evidentes. Desde o ano passado, em Nova Iorque descobriu-se que a contaminação era maior no FIQUE EM CASA. Os estados da Flórida, republicano não foi para o FIQUE EM CASA e tem resultados melhores que o TEXAS, paraíso dos pulhas democratas.
Um tiro fatal no FIQUE EM CASA foi assestado por dona Angela, chanceler alemã: pediu desculpas pelo erro e os exemplos pelo mundo se acumulam. Hoje não há mais dúvida: o FIQUE EM CASA já está desmoralizado.
Um outro aspecto mata de morte e desmoraliza totalmente o FIQUE EM CASA. Cada simulacro de ditador determina, na chutomeria explícita, e ciência zero, a intensidade e o tempo do seu particular FIQUE EM CASA. Não há dois FIQUE EM CASA iguais, no Brasil: o FIQUE EM CASA é a mais perfeita falácia do improviso.
Só uma pergunta para facilitar o seu raciocínio. Onde seria mais fácil receber o covid, banhando na praia ou em casa, junto a sua família? Na empresa em que você trabalha, ou em casa? No campo de futebol, jogando bola, ou em casa? Precisa responder?
Algumas classes possuem razões importantes para o FIQUE EM CASA. Os funcionários públicos são as maiores defensores, inclusive porque, em alguns casos, como na rede de ensino, existe a maior concentração per capita de esquerdopatas.
Um prefeito, não me recordo a cidade, deixou todos livres para aderir ao FIQUE EM CASA, desde que eles declinassem do salário. Sabem quantos aceitaram? Nenhum. Pergunto, especialmente para os cretinos: o picolezeiro, o sorveteiro o flanelinha podem ser adeptos do FIQUE EM CASA? Quem vai lhes dar a comida necessária? Teriam dinheiro para comprar máscaras e álcool gel, quando não tem dinheiro para comprar um ovo?
Caso tivesse que escolher um sujeito com as características de um nazista, para não perder tempo, escolheria simplesmente um defensor do FIQUE EM CASA. Pronto.
Mas porque o FIQUE EM CASA aumenta as chances de contágio? Algumas considerações. Quem tem casa ampla, que pode manter distâncias de mais de 50 metros, são ministros do STF, políticos importantes, governadores ou milionários de qualquer jaez.
Os pobres moram confinados em locais em que cada pessoa se amontoa, em menos de um metro quadrado. Como o vírus já se alastrou, no tecido social, entre está em casa confinado ou andando na praça, a contaminação maior estará no FIQUE EM CASA.
O detalhe que as mentes diabólicas não querem reconhecer é que o FIQUE EM CASA, além de aumentar a transmissão do vírus, cria a mais letal de todas as epidemias: o desemprego e a fome e aí interpelo a esses socialistas de araque e desonestos ideológicos e afirmo: vocês defensores do FIQUE EM CASA são os mais perfeitos GENOCIDAS.
O covid chinês ataca a todos indistintamente, a fome e o desemprego só mata pobres. Isso é GENOCÍDIO.
Finalmente, duas observações. No Maranhão, o primeiro lockdown foi efetivo. O vírus chinês estava restrito a São Luís, mas como o povo de São Luís é predominantemente oriundo da Baixada Maranhense e, ao saber que iria haver o fato, o pessoal da ilha se mandou às escâncaras para o interior e o governador se transformou, com essa medida, no grande disseminador do vírus na baixada.
São Paulo, há mais de um ano brinca de lockdown e é o campeão nacional de óbitos, caso fosse um país, seria o campeão mundial, porém, descaradamente, o governador “calça apertada” tenta jogar esse descalabro paulista em Bolsonaro e, evidentemente, não existe nenhuma atitude de Bolsonaro que justifique essa mentira “dorinésia”, já que o tal STF autorizou ao Bolsonaro, somente que mandasse dinheiro. Mandou e foi muito dinheiro.
Em resumo. A esquerda não é burra. É má, diabólica, hipócrita e bandida. O FIQUE EM CASA nunca foi e nunca será solução, é simplesmente uma estratégia limitada no tempo e no espaço. Mas o FIQUE EM CASA é perfeito para destruir qualquer economia e levar milhões para o desemprego e para a fome, o mesmo que dizer, para a morte.
Disse que a esquerdalha não é burra e que era má, diabólica, hipócrita e bandida. Sim, o é. Morrerem 300, 400 ou um milhão de brasileiros é justificável para eles, desde que possam destruir o Bolsonaro. O Brasil e os brasileiros nada representam para uma mente diabolizada pela esquerda.
Na próxima matéria explicarei a razão de tantos óbitos, mas adianto que caso tivéssemos instituído o tratamento profilático e precoce, não estaríamos nessa situação, enfatizando que esses tratamentos não se opõem às medidas profiláticas e jamais contra a vacinação. Ao contrário da falácia esquerdopata, medidas sanitárias de higiene, proteção permanente, vacina, tratamento profilático e tratamento precoce representam o combo do sucesso.
Agora o rei está nu, os gerentes da pandemia (prefeitos e governadores) falharam, no desespero tentam jogar essa derrota sanitária no colo do presidente: não deu certo. Esse insucesso político contra Bolsonaro parece demais com o insucesso da facada do tal Adélio.
A facada de Adélio consolidou a vitória, em 2018 e a pandemia fará o Bolsonaro consagrar-se no primeiro turno, em 2022. Desse modo, para os olhos da esquerdocracia bandida restará dois destinos: ver a vitória de Bolsonaro e o inevitável choro.
Não vejo a hora de documentar o mimimi e que venha o mimimi.
Tenho dito.
(*) Médico otorrinolaringologista, legista, jornalista, advogado, professor universitário, músico, poeta, escritor e doutor em Administração, pela Universidade Fernando Pessoa, Porto, Portugal.
(**) Pode ser reproduzido, sem a anuência do autor, em qualquer plataforma de comunicação.

Deixe uma resposta