Blog do ligeiro

Natalino é homenageado durante formatura do curso de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros

O professor Natalino Salgado foi homenageado na noite de sexta-feira (7) durante a cerimônia de formatura da primeira turma do curso de Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiro da Universidade Federal do Maranhão, UFMA, no Centro de Convenções , na cidade universitária Dom Delgado. Natalino Salgado é candidato a reitor da UFMA na consulta prévia marcada para o dia 26 de junho , no campus de São Luís e nos oito campus do continente.

Natalino Salgado com a professora Zefinha Bentivi e docentes do curso de Estudos Africanod

O curso, pioneiro no país, foi fundado em maio de 2015, no segundo quadriênio da gestão do reitor Natalino Salgado, em atendimento à solicitação do Núcleo de Estudos Africanos, NEAB, sob coordenação do professor Carlos Benedito Rodrigues da Silva, e a iniciativa dos professores Marcelo Pagliosa e Kátia Régis. A primeira turma graduada é formada por 12 alunos de vários estados brasileiros, sendo a maioria maranhenses.

Natalino recebe abraço emocionado de uma graduada

“Essa é uma conquista da nossa
Universidade, pioneira no país a oferecer licenciatura neste campo do conhecimento. Meu coração transborda de alegria ao lado de alunos e professores. Gratidão por este trabalho que pude acompanhar de perto, desde a idealização do projeto até a concretização do curso. Parabéns aos formados, professores e todos os envolvidos”, comentou o professor Natalino Salgado.

Formanda demonstra todo o seu contentamento, ao lado de Natalino, por receber o diploma

No Brasil, a política educacional para fazer enfrentamento ao racismo começou a ter forma com o decreto da Lei Federal Nº10.639 de 2003 e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana como disciplina obrigatória na educação básica. A implantação pioneira do curso de licenciatura na UFMA foi um passo decisivo para implantação da lei no país.

Deixe uma resposta