Blog do ligeiro

Após prisão em Teresina, deputado Fábio Macedo admite que é alcoólatra

O deputado estadual Fábio Macedo (PDT), preso sexta-feira (08), em Teresina (PI), após se envolver em uma briga de bar e agredir um policial militar e o cantor Léo Cachorrão, o Playboy dos Paredões, admitiu ser alcoólatra e que sua atitude foi consequência da mistura de bebida com medicamentos de uso controlado que consome desde que se submeteu a uma cirurgia. “Meu organismo não consegue mais processar o consumo de bebidas corretamente”.
Fábio Macedo revela ainda que pode se tornar uma pessoa perigosa para o convívio social, pois “qualquer quantidade (de bebida alcoólica) faz com que logo eu perca a razão e o controle emocional”, ou seja, até mesmo num evento social pode se tornar agressivo.
De acordo com a ocorrência policial na capital piauiense, o parlamentar pedetista estava no Boteko & Cervejaria do Bento, uma das casas noturnas mais badaladas da cidade, na noite de sexta-feira, e depois de subir ao palco e tentar tomar o microfone do cantor para mostrar seu repertório, houve um desentendimento.
Na briga, Fábio Macedo agrediu Cachorrão e um policial que tentou controlar a situação. Preso em flagrante, ele foj solto após pagar fiança. Ao deputado são atribuídos ainda áudios divulgados nas redes sociais nos quais ameaça de morte as pessoas que agrediu.
O deputado é filho de um dos homens mais ricos do Piauí, Dedé Macedo, dono de empresas de turismo e construção civil, mas tem a cidade de Dom Pedro como sua base eleitoral  no Maranhão. Ele tem um irmão no secretariado de Flávio Dino.
Em 2017, ele se envolveu num acidente de automóveis em São Luís e, apesar do visível estado de embriaguez, em vez de ser preso em flagrante, foi conduzido à sua residência sob proteção policial, sem ao menos se submeter ao teste de bafômetro. Também não há em nenhuma delegacia de Polícia da capital maranhense qualquer registro desse caso.
A reincidência do parlamentar em crimes sob efeito de álcool do seria caso para ser investigado na Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa, mas isto dificilmente ocorrerá devido à influência que exerce tanto no Parlamento quanto no Poder Executivo.
É provável, no entanto, que Fábio Macedo peça licença para se internar numa clínica de desintoxicação, a fim de se livrar do vício. Na sua conta do Instagram, onde admite a dependência do álcool e pede desculpas pela arruaça, ele manifesta esse desejo.

“O alcoolismo, assim como a depressão, infelizmente, são doenças graves. Dessa forma me comprometo em continuar com o tratamento de saúde para superar essa condição”, promete.

Deixe uma resposta