sábado, 8 de dezembro de 2018

Profissionais de todo Brasil criaram a Rede Nacional de Defesa de Comunicadores

Blogueiros (as), Jornalistas, Radialistas, Radialistas Comunitários, Radialistas Web, Comunicadores indígenas, Comunicadores de etnias, Mídias tradicionais, Mídias alternativas e influenciadores digitais formaram a Rede de Defesa de Comunicadores do Brasil


Nesta semana foi articulada a Rede Nacional de Defesa de Comunicadores para realizar ações concretas em defesa da liberdade de expressão. Foi com este objetivo que comunicadores do Brasil inteiro se reuniram no Encontro Nacional de Proteção a Comunicadores, promovido pelo Instituto Vladimir Herzog, Artigo 19, Repórteres sem Fronteiras, Intervozes e Abraji, no Itaú Cultural, São Paulo.

Durante dois dias, vários comunicadores de todas as regiões do país debateram temas como a censura, a criminalização e a violência perpetrada contra aqueles que ousam denunciar abusos de poder e violações de direitos humanos, além da impunidade aos que ameaçam e cometem atos de violência contra o princípio básico e constitucional da liberdade de expressão.

O contexto político do país, de avanço das forças conservadoras, foi lembrado por Rogério Sottili, diretor executivo do IVH, na abertura do evento: “O governo que vem aí vê como inimigos os defensores da liberdade de expressão. Justamente por isso, precisamos estar cada vez mais juntos, mais articulados e um encontro como este é fundamental para nossas pretensões”.
A presença de representantes de todas as regiões do país foi celebrada por Giuliano Galli, coordenador do evento: “A questão da violência a comunicadores é nacional, mas há muitas diferenças entre as realidades vividas por cada um. Nosso encontro foi efetivamente nacional e, graças a isso, foi possível aumentar a compreensão sobre a complexidade e as particularidades que envolvem este problema”.

O encontro teve ainda a presença de Juca Kfouri, conselheiro do Instituto Vladimir Herzog, que relatou a história de Paulo Cezar de Andrade Prado, blogueiro independente que está preso por conta de críticas ao apresentador Milton Neves.

O Encontro Nacional de Proteção a Comunicadores contou com o patrocínio da Embaixada do Reino dos Países Baixos e da Fundação Friedrich Ebert Stiftung, além do apoio da Human Rights Watch e do Itaú Cultural, que recebeu o evento. Foi criado um Comitê Gestor com membros de vários estados para que ameaças contra comunicadores brasileiros seja amplamente divulgado e repassado imediatamente para as autoridades competentes. O compromisso do comitê que já está trabalhando a formatação da rede, é que outros encontros ocorram no próximo ano, em formato e local a serem definidos. O Maranhão se candidatou para receber os comunicadores de todo o Brasil, resta aguardar.