terça-feira, 21 de agosto de 2018

"Nomear os aprovados no concurso da PMMA não é favor" diz deputado Wellington ao defender os mais 1.800 alunos do CFSD



Na manhã desta Terça (21), foi realizada na Assembleia Legislativa do Maranhão, audiência pública em defesa dos mais de 1.800 aprovados em todas as etapas do concurso da Polícia Militar do Maranhão. Presidida pelo deputado Wellington, na ocasião também esteve presente o deputado Eduardo Braide, autor do requerimento, sargento Ebenilson, Sargento Gilmar dos Anjos, além da participação de mais de 500 alunos que já realizaram o curso de formação de soldados. A audiência foi convocada pela Associação de Praças da Polícia Militar (ASPRA).

De acordo com os concursados, eles se sentem enganandos pelo Governo do Estado e até o momento a Secretaria de Gestão e Previdência (SEGEP), não deu nenhuma posição.
"Fizemos o concurso, passamos, realizamos todas as etapas do concurso e, até agora, não fomos nomeados. Se não tinha previsão de nomeação, por que nos convocou para fazer o curso de formação? Larguei meu emprego para me dedicar ao período de formação e agora o governo não dá nenhuma satisfação. Fomos enganados pelo Governo do Estado. Isso é um desrespeito. Não estamos pedindo favor.”, disse Daniel, um dos aprovados no concurso.

Sobre o caso, o deputado Wellington destacou que enquanto deputado estadual não pode nomear os aprovados, mas ressaltou seu papel a fim de intermediar o diálogo entre Governo do Estado e os aprovados

“Enquanto deputado estadual, eu não posso nomear e nem obrigar que o Governo do Estado faça isso. O que eu posso fazer é intermediar essa discussão, a fim de que tenhamos uma solução que concilie os interesses dos aprovados e da Gestão Estadual. Tenho feito um enfrentamento durante toda a realização do concurso, já fizemos varias denúncias e já apontamos inúmeras irregularidades desde a liberação do edital. Nomear aprovados em concurso público não é favor. Já oficializamos o Governo do Estado, por meio do ofício N° 026/2018, de 26 de Julho, solicitando o cronograma para a nomeação dos mais de 1.800 aprovados em todas as etapas do concurso, bem como esclarecimentos à cerca do descumprimento de varias decisões judiciais entretanto, a SEGEP não forneceu o cronograma que é fruto de solicitação de homens e mulheres que se dedicaram, estudaram, foram aprovados no concurso, passaram em todas as etapas, largaram seus empregos, e agora estão sem qualquer resposta do Governo quanto à nomeação. É um governador que tenta fazer políticagem com os concursados. São mais de 4 mil cargos vagos para soldado da PMMA, então por que não nomear essas pessoas que já foram aprovadas? Concursados, contem comigo. Estamos juntos nessa luta!”, disse o professor e deputado Wellington do Curso.