quinta-feira, 10 de maio de 2018

Sampaio Basquete a uma vitória da final da LBF CAIXA



O Sampaio Basquete, equipe que tem o patrocínio da Cemar e do governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte, deu um grande passo para voltar a disputar as finais da LBF CAIXA após duas temporadas. Fora de casa, a equipe maranhense bateu a Uninassau por 83 a 73, no ginásio Wilson Campos, no Recife (PE), e pode carimbar a vaga já no domingo, em São Luís.

A Bolívia contou com as atuações imponentes das estrangeiras Ziomara Morrison, com 23 pontos e 10 rebotes, e Briahanna Jackson, com 17 pontos, 4 assistências e 4 bolas de três convertidas. Ambas fecharam o jogo acima dos 70% nos arremessos.

Além das ‘gringas’, Tati Pacheco (14 pontos), Leila (13) e Karina Jacob (10) também deram boa parcela na vitória.

“Estou muito feliz pela minha atuação, mas principalmente com o grande trabalho que fizemos como equipe. Soubemos aproveitar as vantagens melhor do que em outros jogos. Mas ainda temos que melhorar nossa defesa para domingo”, constatou Ziomara.

Pela Uninassau, Gil manteve sua média na temporada contra o Sampaio e deixou 20 pontos e 8 rebotes, seguida de perto por Tassia, que teve atuação apagada no primeiro tempo mas cresceu no segundo, fechando o jogo com 19 pontos. Casanova e Gabriela tiveram 13 pontos cada.

Jogo

O jogo começou com um grande nome: Ziomara dominou a pontuação do Sampaio, anotando 13 dos 19 marcados pelo Sampaio no primeiro período. No segundo, a chilena zerou, mas Tati Pacheco se encarregou de ajudar a manter a liderança do Sampaio, que fez 18 a 13 no período e foi ao intervalo com 9 de vantagem.

A Uninassau tratou de reagir no segundo tempo, e com uma parcial 9-0, voltou a encostar no placar, obrigando o técnico Virgil Lopez a parar o jogo. A pausa fez o Sampaio reencontrar seu ritmo, e apesar de perder o quarto por 20 a 16, manteve a liderança no placar.

Na última etapa, as equipes relaxaram na defesa e anotaram grandes aproveitamentos ofensivos. Se a Uninassau converteu 59,5% das suas tentativas, o Sampaio foi ainda mais eficiente, registrando incríveis 88,2% no quarto decisivo. Quatro jogadoras do Sampaio foram perfeitas nos seus arremessos e a equipe fez 30×25 na última parcial, apesar do esforço de Tassia para fazer a Uninassau encostar novamente. A ala demorou a encontrar seu ritmo no jogo e fez 13 dos seus 19 pontos no quarto final.

“Fomos buscar essa vitória muito na raça e na responsabilidade, pois soubemos administrar os momentos fortes da Uninassau. Mas não é o momento de comemorar, pois este foi só o início desta série. Temos que manter o que funcionou e corrigir os nossos erros. Temos muito trabalho pela frente”, analisou o cauteloso Virgil Lopez, técnico do Sampaio Basquete.

“Ainda temos o jogo de volta e vamos trabalhar para conquistarmos a classificação para mais uma final. Vamos aproveitar esses dias de treinamento para analisar o confronto de hoje, ver onde erramos e onde podemos melhorar. Vamos com tudo para São Luís. Não tem nada perdido”, afirmou um confiante Roberto Dornelas, técnico da Uninassau.

No próximo domingo (13), Sampaio e Uninassau voltam a se enfrentar no jogo 2 da série, no ginásio Castelinho, na capital do Maranhão. O vencedor da série encara na decisão o vencedor de Vera Cruz Campinas e Blumenau – a equipe paulista vence a série por 1 a 0.

A equipe do Sampaio Basquete tem o patrocínio da Cemar e do governo do Estado por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.