quarta-feira, 7 de março de 2018

Cabo Campos nega agressão à esposa e relata drama familiar envolvendo homossexualidade da filha

Após pronunciamento do Democrata, Procuradora da Mulher na Assembleia confirmou que já ingressou com uma representação pedindo o seu afastamento por um prazo de 60 dias.
O deputado estadual Cabo Campos (DEM) se pronunciou agora a pouco, na Assembleia Legislativa do Maranhão, acerca da denúncia na qual ele é acusado de ter agredido a própria esposa, Maria José Brandão Marques Campos – reveja e reveja.
Em um discurso emocionado, no qual chegou a chorar por algumas vezes, o Democrata negou que tenha agredido sua companheira e deixou claro que estava vivendo um drama familiar ocasionado pelo fato de Maria José não aceitar a opção sexual da filha, Laila Marques Campos.
Em entrevista exclusiva concedida ontem ao jornalista Jorge Aragão (reveja), Laila, que registrou um Boletim de Ocorrência contra a mãe, disse que Maria José não aceitou sua homossexualidade e, por conta disso, a agredia constantemente.
“Já fui crucificado, julgado e condenado à revelia. Mas não irei desistir da minha família. Estava vivendo um drama familiar que era uma coisa íntima, da família. Mas infelizmente isso ganhou notoriedade”, disse.
Cabo Campos confirmou as informações prestadas pela filha, relatando que a esposa mostrava-se indignada com a situação.
“Minha filha conversou comigo. Apenas pedi que ela não se expusesse. Mas aceitei. Mas minha esposa não. Quero deixar claro que a intenção da minha filha em denunciar as agressões à Polícia visou ajudar a mãe. Oferecer a ela acompanhamento para que pudesse entender e aceitar ”.
Ao citar o seu porte físico avantajado, o parlamentar deixou claro que não desferiu socos e pontapés contra a esposa.
“Minha esposa usa colar cervical constantemente, devido a uma hérnia de disco e pelo fato de ter se machucado quando limpava o seu salão de beleza. Eu amo minha esposa e não vou abandoná-la nunca. Amo meus filhos e não vou abandoná-los nunca. Infelizmente, um drama familiar tornou-se público e as pessoas estão me julgando. Por isso resolvi falar. Resolvi falar porque a minha filha Laila também se pronunciou, expôs a situação que estava vivendo. Mas tenho fé em Deus”.
Representação – Após o pronunciamento de Cabo Campos, a Procuradora da Mulher na Assembleia, deputada Valéria Macedo (PDT), utilizou a Tribunal para elogiar o fato do seu colega ter se posicionado oficialmente sobre o caso.
Macedo fez questão de frisar que a sua atuação nada tem de pessoal e cumpre, tão somente, o papel de analisar e investigar uma denúncia feita formalmente à Justiça contra um membro do Parlamento.
Valéria Macedo confirmou que, ontem, ingressou com uma representação contra Cabo Campos solicitando o seu afastamento do mandato por um período de 60 dias.