quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Em função da notícia caluniosa publicada recentemente na mídia local de Paço de Lumiar, venho a declarar:

CARTA RESPOSTA




Meu nome é Beatriz Campos, mulher negra, solteira, criada na ilha de São Luís, estudei desde sempre em escolas públicas, aprendi sentindo na pele que é por via dos estudos que podemos modificar e transformar uma realidade cruel da qual sou mais do que testemunha, sou fruto; e costumo, desde sempre, falar aos meus alunos que não me faço de vítima e nem sou coitada, sou guerreira, sou vitoriosa, porque  continuo minha formação, tendo sido aprovada em terceiro lugar no curso de LICENCIATURA EM MATEMÁTICA da prestigiosa UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO – UFMA-MA ,  bacharel em DIREITO,  pela Faculdade Fortium – DF, Pós- graduanda em DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR  e   formação curso de CAPACITAÇÃO PARA CONCILIADORES  pelo Fortium – DF.


   Tenho a honra e o orgulho de pertencer a uma família que venceu por suas próprias forças e por seus méritos, meus  irmãos são exemplos para mim, venceram na vida – em uma época onde não havia bolsa disso ou bolsa daquilo – sentimos na pele o preconceito e o racismo em uma sociedade onde a cor da pele e a classe social e econômica valia muito; como disse, tenho orgulho dos meus irmãos e não vou permitir que por angustia e veleidade política um deles seja atingido por tabela através da minha pessoa. Sou irmã do Deputado Cabo Campos com muito orgulho  e meu currículo me gabarita a assumir o cargo para o qual  fui nomeada.


  Sobre as denúncias caluniosas que determinado blog publicou, tenho a relatar que cumpro expediente desde maio de 2017, ou seja, há menos de 1 (hum) ano na função de gestora, lotada inicialmente na UEB PROFESSORA NADIR NASCIMENTO DE MORAES onde já encontrei a situação da verba destinada ao custeio e manutenção da citada escola e  de sua administração comprometida, dependente da prestação de contas da gestão anterior  e hoje estou prestando  serviço  na sede da SEMED  - Secretaria Municipal de Educação,  fazendo jus aos vencimentos por mim auferidos. Não sou, não quero ser e nunca serei funcionária fantasma de qualquer instituição pública ou privada, atuei como docente de ensino médio para o Governo do Distrito Federal, Docente de ensino médio para o Governo de Goiás; e desde os meus 15 anos, na Rua da Cerâmica no João Paulo - onde me criei – lecionava matemática para alunos da vizinhança, NUNCA FUI FANTASMA, mereci até hoje cada centavo que ganhei, a custa de muito suor e por força dos meus méritos.


   Quem me conhece sabe da minha civilidade, da minha educação e da minha cordialidade, mas também deve saber que não pactuo com a leniência, com a desídia e com a falta de compromisso. Sou assim, talvez seja uma falha, mas minha consciência me guia e me acalanta.


   Assim, tenho a declarar que tomarei as medidas judiciais cabíveis, para proteção da minha honra e da honra de terceiros, como meio de cessar o crime de calunia do qual estou sendo vítima. Sei das motivações políticas escusas que levaram o produtor de “Fake News” a publicar a referida pseudonotícia, mas não me  acovardarei,  sou determinada a buscar solução. Se venci a dura realidade da vida sofrida de outrora, vencerei também a pequenez de algumas pessoas.


   Por fim agradeço a confiança e a oportunidade que tenho tido do Prefeito Dutra, que faz uma administração limpa e transparente. Vejo a incansável luta da atual gestão deste município na busca do “PAÇO CERTO PELO DIREITO DE APRENDER”.  Minha nomeação é  lícita, moral e  não existe óbice Constitucional  sobre ela,  e, portanto, sinto-me tranquila para fazer o que mais gosto, LUTAR PELA EDUCAÇÃO.



 

                                                       BEATRIZ CAMPOS

                                             Mulher, Negra, Educadora e Lutadora