sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Base de Alcântara volta a ser apontada como a melhor do mundo para o lançamento de foguetes



Após o fracasso da parceria firmada com a Ucrânia 15 anos atrás, o governo federal negocia com as empresas norte-americanas SpaceX e Boeing, entre outras, o uso do CLA (Centro de Lançamento de Alcântara), no Maranhão, para lançamento de foguetes em missões espaciais até 2021.
De acordo com o Ministério da Defesa, a base de lançamento tem o potencial de gerar 1,5 bilhão de dólares por ano ao país. A SpaceX é hoje a principal companhia privada dedicada à exploração espacial e, no dia 6, lançou ao espaço a partir dos EUA o Falcon Heavy, o foguete mais potente.
A Boeing é uma das maiores empresas de construção de aeronaves do mundo e também produz componentes, satélites e veículos espaciais — a empresa é fabricante dos ônibus espaciais usados pela Nasa (a agência espacial norteamericana) para levar astronautas ao espaço. 
Porque o lançamento da Falcon Heavy foi tão importante Lançamento da SpaceX foi a 2ª live mais vista do Primeira parceria deve ser em breve, diz major-brigadeiro “Ainda não há nenhuma parceira fechada, mas estamos conversando e negociando com várias empresas do setor aeroespacial, incluindo a SpaceX, para o uso da nossa base em Alcântara”, afirma o major-brigadeiro Luiz Fernando Aguiar, presidente da Comissão Coordenadora de Implementação de Sistemas Espaciais da FAB (Força Aérea Brasileira).
“Algumas dessas conversas estão bem adiantadas e devemos anunciar a primeira parceria em breve”, declara. Em novembro, os militares da Aeronáutica receberam uma comitiva de executivos de empresas norte-americanas do setor aeroespacial. De acordo com a FAB, havia representantes das companhias Vector Space Systems, Microcosm, Boeing e da gigante da área militar aeroespacial Lockheed Martin.
Visita da SpaceX cancelada por causa do Falcon Heavy Segundo o major-brigadeiro Aguiar, os executivos da SpaceX faziam parte do grupo, mas cancelaram a vinda ao Brasil na última hora, pois tiveram que resolver imprevistos relacionados ao lançamento no início do mês do foguete Falcon Heavy.
A comitiva conheceu o complexo aeroespacial de São José dos Campos (91 km de São Paulo) e depois a base de lançamentos no Maranhão. “Mostramos para eles as possibilidades do nosso centro, que tem todas as condições de abrigar projetos espaciais destas companhias”, diz o major-brigadeiro a frente da iniciativa. “Nossa base tem a melhor localização do mundo para lançamentos espaciais, as empresas sabem disso e, assim como a gente, querem aproveitar esse potencial’, afirma Aguiar.
Alcântara, na região metropolitana de São Luís, fica próxima à linha do Equador. A localização é estratégica para lançamentos espaciais, pois oferece um caminho mais curto para os foguetes saírem da atmosfera e serem colocados em órbita geoestacionária — a economia de combustível pode chegar a 30% em relação a outros pontos de lançamento nos EUA e na Europa, por exemplo.
Este tipo de órbita é mais difícil de ser atingida devido à grande altitude que os artefatos devem alcançar para ficarem estabilizados nela, sobre a linha do Equador.  Satélites de telecomunicações, por exemplo, utilizam esta órbita.
A velocidade de rotação da Terra também auxilia nos lançamentos deste ponto da superfície terrestre. Apesar disso, o Brasil nunca conseguiu aproveitar o potencial aeroespacial do lugar.  Falta acordo para proteger tecnologia dos EUA.
A concretização destas negociações, no entanto, depende da aprovação e entrada em vigor de um acordo de salvaguardas tecnológicas com os Estados Unidos.