sábado, 4 de novembro de 2017

Wellington defende acessibilidade e outros direitos de deficientes em audiência em Imperatriz


Wellington ouviu solicitações de portadores de deficiência que moram em Imperatriz e elencou possíveis ações que devem ser implantadas a fim de garantir direitos
O deputado estadual Wellington do Curso (PP) realizou importante audiência pública na cidade de Imperatriz. O objetivo foi discutir sobre os direitos das pessoas com deficiência e contou com a representatividade do Movimento das pessoas com deficiência; de Joaquim Ribeiro de Sousa, Promotor de Justiça de Imperatriz; de Dielane Vasconcelos, assistente social participante do Movimento da Pessoa com Deficiência de Imperatriz; de Fidelis Uchoa, Secretário de Planejamento do município; Audilene Monteiro, Coordenadora de Mulheres com Deficiência do Maranhão; Verador de Açailândia, Irmão Jorge (Podemos); Pastor Alex Nunes Rocha, Vice/Prefeito de Imperatriz; vereador José Carlos (PV), presidente da Câmara e a maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Imperatriz.
Na ocasião, o deputado Wellington ouviu as solicitações das pessoas com deficiência que moram em Imperatriz e elencou algumas possíveis ações que devem ser implantadas a fim de garantir os direitos.
“As pessoas com deficiência encaminharam essa solicitação ao nosso gabinete e nós não poderíamos nos omitir. No Maranhão, sabemos que a acessibilidade ainda é um desafio e essa realidade não mudará de uma hora para outra. No entanto, não podemos ignorar os problemas e é exatamente por isso que estamos aqui. Por meio do nosso projeto ‘Ouvindo o Maranhão’, estamos prontos para articular possíveis soluções.”, disse Wellington.
Após 4 horas de audiência, elencarem-se alguns encaminhamentos: Foram eles: ampliação do Programa Travessia em Imperatriz; adaptação do transporte coletivo, que deve conter elevadores; implantação do Projeto Travessia em Açailândia; impor a obrigatoriedade de todos os ônibus de Imperatriz disponibilizarem elevadores; ações conjuntas entre Estado e Prefeitura a fim de garantir a acessibilidade das calçadas públicas. Ao final da Audiência, representantes do Fórum de Açailandia solicitaram a realização de uma Audiência na cidade, no mês de novembro.