terça-feira, 24 de outubro de 2017

Feijoada com samba e pagode na Favela do Samba


                                          Festa marcará o aniversário de 66 anos da escola do Sacavém
 
Neste sábado, dia 28, a Favela do Samba abre sua quadra no Sacavem, para festejar 66 anos de existência, com uma suculenta feijoada a partir da 13h com muito samba e pagode dos grupos Tô Legal e As Brasileirinhas, participação de Anastácia Lia, Luzian Filho, Milena Mendonça, além do ziriguidum da bateria Carcará, sob a batuta do mestre Júlio Diniz.

No roteiro da festança, consta ainda uma sessão especial, para apresentação das propostas de sambas para o concurso de samba enredo, com vistas a definir o hino oficial que será entoado no carnaval de 2018, dentro do enredo “Visões da Coluna Prestes: Nas Trilhas do Sul do Maranhão, uma Coluna Vertebrada, com Ossos feitos de sonhos e esperanças”.
SERVIÇO:
O QUE? Feijoada para celebrar os 66 anos da Favela
QUANDO? Sábado (28), às 13h
ONDE? Quadra da Favela, na Av dos Africanos, Sacavem
ATRAÇÕES MUSICAIS: Grupos de pagode Tô Legal e As Brasileirinhas. E a Bateria Carcará, da Favela do Samba.
ENTRADA : Camisa + Feijoada = R$ 20,00
 
HISTÓRIA DA FAVELA
A Sociedade Recreativa Escola de Samba Favela do Samba está situada no bairro do Sacavém, a cerca de oito km do centro de São Luís, uma área residencial de características popular. A escola foi fundada em 26 de outubro de 1951, por Euzébio, Messias, Benedito Saint Clair, Benedito Roxo, Saturnino Gomes, Fausto Barnabé (Pelé), João Duarte (João de Narciso), José de Ribamar Avelar (Zé Soldado) e D. Maria das Dores.  Seu primeiro desfile aconteceu em 1951, pelas ruas do bairro – era uma característica da época as turmas de samba (como eram chamadas) desfilarem nos seus bairros. Seu símbolo é a lira, idealizada por Arcelino. E suas cores são azul, amarelo e branco.
Em 1976, com a mudança do formato de desfile pela extinta Maratur, a Favela do Samba apresenta o enredo A Festa do Divino, na passarela do samba montada na praça Deodoro. No ano seguinte, 1977, consagra-se campeã com o tema “No Reino dos Orixás”. Esse ano foi bastante significativo na história da escola, o presidente, na época, José Venâncio (1974-1979) convida o radialista esportivo e cultural da Rádio Difusora, Fernando Sousa para diretor de carnaval e assim da um novo perfil a mesma. Fernando, por outro lado convida Reynaldo Faray (bailarino, figurinista, ator e diretor teatral) para criar as fantasias, Chico Coimbra (estilista) para idealizar as fantasias dos destaques, Márcio Brandão (Arquiteto e Decorador) para os carros alegóricos, Zé Leite Machado (poeta) fez o tema “Lendas e Glórias dos Orixás”, os compositores Cleto Júnior e Oberdan de Oliveira para compor o samba-enredo e o cantor Beto Douglas para puxar o enredo na passarela. Chico Coimbra, convida para padrinho e madrinha da escola Pergentino Holanda (Colunista Social) e Silvia Bandeira (na época Falkenburg) atriz global. Portanto essas plêiades de celebridades vão dar o tom da Favela no desenvolvimento desse belíssimo enredo, um dos marcos do carnaval de passarela de São Luís.