segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Wellington destaca suspensão de greve de professores e desocupação da Semed

Wellington reafirmou que reivindicações de professores são justas
O deputado estadual Wellington do Curso (PP) se reuniu, na manhã deste domingo (03), acompanhado dos promotores de Justiça de Defesa da  Educação, Paulo Avelar e Luciane Belo, com professores da rede pública municipal de São Luís. A reunião implicou na desocupação do prédio da Secretaria de Educação do Município, após 34 dias em greve.
A desocupação é resultado de uma intensa roda de diálogos que tem contado com a presença do deputado Wellington. Inicialmente, no dia 31 de agosto, houve uma audiência pública na Procuradoria de Justiça; já no dia 1º de setembro, houve uma reunião mais específica com os promotores, secretário de educação e professores.
“Estamos ao lado dos professores. Para nós, a solicitação deles é sim justa. A população reconhece isso. Os professores não querem apenas reajuste de 7,64%, mas sim melhores condições de trabalho e escolas dignas com estrutura para que os alunos possam, de fato, aprender. Por meio do nosso projeto ‘De Olho nas Escolas’, acompanhamos e conhecemos a realidade dos professores, alunos e escolas que necessitam de reforma. Por isso, estamos com eles! Já nos reunimos outras vezes e acreditamos que a desocupação do prédio foi sim necessário até para mostrar a disposição dos professores em manter o diálogo com o poder público. Agora, continuaremos acompanhando. Professores suspendem movimento, desocupam a Semed, mas mantém estado de greve. Estamos vigilantes e atuando em defesa de uma educação pública de qualidade e em defesa incondicional dos educadores”, disse o professor e deputado Wellington.
Entre os encaminhamentos da reunião, estão a permanência do comando de greve e mesa de negociação; a suspensão da greve e retorno às atividades, após a entrega de documentos para que uma Comissão de Técnicos do Ministério Público façam uma análise, em 20 dias úteis, e apresentem parecer sobre as contas da Prefeitura, para verificar a possibilidade de se conceder o reajuste. Ficou decidido ainda a retomada da mobilização nas escolas a partir desta segunda-feira (4) e consequente desocupação do prédio da Semed no final da manhã deste domingo.