sexta-feira, 30 de junho de 2017

É CAMPEÃO: Sampaio derrota o Cordino e conquista o Maranhense 2017


Adversário valente na final, o Cordino queria debutar na galeria de campeões, mas a camisa Tricolor fez o a diferença com seu peso descomunal. A vitória por 2×1 veio de forma categórica, como um verdadeiro campeão deve se portar.
O destino ousou interferir no duelo. No início, um susto. A bola na área Tricolor ocasionou uma espanada reversa, que desmoronou a defesa. Altivo, o campeão não sentiu o golpe e avançou para igualar a partida.
Bola na pequena área para Isac é perigo fatal. Se não der do modo convencional, pode ser de barriga mesmo. O que vale é bola na rede. Foi a deixa para a virada, que veio em jogada de Felipe Marques, pela esquerda. Defensiva do Cordino castigada com o mesmo veneno. Gol contra.  Travessuras do futebol.
O campeão desceu em vantagem para o vestiário. Restavam mais 45 minutos para levantar o troféu. O emblemático 33º da história boliviana.
Sequência final disputada em alta frequência. Ao aguerrido Cordino, restava abrir a guarda para tentar a virada, único resultado que lhe interessava, enquanto o campeão se postava com a mesma autoridade em campo, à espera do momento certo para o golpe de misericórdia.
A chance de fazer o terceiro gol surgiu na penalidade máxima. Isac foi para a cobrança, mas o tal detalhe do absurdo impediu que a bola estufasse a rede. O futebol tem dessas coisas.
Enquanto o cronômetro acelerava para o fim, a estrutura para receber o campeão ia sendo montada no gramado do Frei Epifânio. Não havia muito mais a ser feito.  O placar foi decidido nos gols da primeira etapa, o bastante para o Sampaio Corrêa levantar seu 33º título maranhense.
Pode estufar o peito, boliviano. É campeão. 33 vezes. É campeão!   
Ficha Tricolor
 Alex Alves, Roniery, Fredson (Alex), Maracás e Esquerdinha; César Sampaio, João Victor, Diego Silva e Hiltinho (Ricardo Maranhão); Felipe Marques (Uilliam) e Isac.