quarta-feira, 7 de junho de 2017

Deputado Wellington articula ações de melhorias para a área Itaqui-Bacanga

Wellington anunciou aos moradores que encaminhará as solicitações às autoridades competentes
Por meio do Projeto “Conversando com a comunidade” que leva o Parlamento Estadual até à população, o deputado Wellington do Curso (PP) participou de reunião com representatividade da comunidade da área Itaqui-Bacanga. Ao ouvir os membros do Movimento Comunitário e Articulação (MACAIB) e moradores dos bairros, o deputado Wellington tomou ciência de uma série de reivindicações, principalmente, quanto à falta de infraestrutura, ao transporte deficiente na região e, ainda, falta de escolas e hospitais para garantir os direitos básicos como saúde e educação.
“Aqui no Itaqui-Bacanga a gente tá abandonado. Falta creche, escola, posto de saúde. É como se nem fizesse parte de São Luís. Quer dizer: é como se nem no Maranhão a gente estivesse. Eu vejo tanto essa propaganda de ‘Mais IDH’, e fico me perguntando: eles pensam que só precisa de escola quem mora no interior, é? A gente aqui também precisa. Nossos filhos estão todos entrando no mundo das drogas por falta disso”, desabafou Maria das Dores.
Sobre a situação, Wellington deixou claro que encaminhará as solicitações às autoridades competentes.
“Sabemos que essa responsabilidade para efetivar políticas públicas não cabe ao deputado estadual. A minha função é a de legislar e fiscalizar. É o que tenho feito. No entanto, não poderia me omitir e, por isso, todas essas solicitações, inclusive quanto ao Fundo Social, iremos encaminhar às autoridades competentes, sejam elas vereadores, secretários ou até o próprio Prefeito. Esse é o objetivo do nosso mandato popular: levar as reivindicações da população até quem pode, de fato, resolver”, disse Wellington.
Estiveram presentes o líder comunitário Sebastião Santos e também os vereadores Francisco Chaguinhas (PP) e Cézar Bombeiro (PSD); além do representante do Sindicato dos Usuários do Transporte Público e do representante da SEMCAS; bem como o presidente da Feira do Anjo da Guarda e membros da Comissão da OAB-MA. Como um dos encaminhamentos, agendou-se uma audiência pública no mês de junho, que acontecerá na Câmara Municipal de São Luís.