terça-feira, 9 de maio de 2017

Lula encontra Moro em interrogatório que ganha contornos de disputa política em Curitiba

"O juiz, que deveria ser imparcial, fala diretamente a seus apoiadores, isso não é normal. Em uma democracia, políticos tem apoiadores e adversários. Juízes, não", disse.
Mesmo não sendo, em tese, uma figura política, o crescimento da popularidade de Sergio Moro como um herói anticorrupção o transformou em um adversário direto do ex-presidente.
A última pesquisa Datafolha, divulgada no final de abril, mostra que o juiz, caso fosse candidato, seria, junto com Marina Silva, um dos únicos nomes a bater Lula em um eventual segundo turno nas eleições de 2018.
MANIFESTAÇÕES
Organizadas pela Frente Brasil Popular --uma reunião de partidos de esquerda e movimentos sociais-- as manifestações a favor de Lula em Curitiba começam na manhã de terça-feira com a chega da manifestantes e a inauguração de um acampamento, passa por um ato ecumênico na noite de terça e termina com um "ato político", supostamente com a presença do próprio Lula, na noite de quarta.
Diversos representantes de movimentos sociais passaram o dia divulgando vídeos convidando militantes a ir a Curitiba,
"Nossa expectativa é que seja uma manifestação calma, mas com um número muito grande de pessoas. Tem tudo para ser tranquila, não tem um objetivo de ter confronto", disse à Reuters o líder do PT na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini (SP). "É uma demonstração de solidariedade de todo país, dos movimentos sociais. Coloca esse processo em outro patamar."

Cerca de 30 deputados da bancada federal do PT se preparam para ir a Curitiba acompanhar o depoimento, assim como um grupo de senadores.