quarta-feira, 12 de abril de 2017

Marcial Lima concede título de cidadão Ludovicense ao reitor do IFMA




O reitor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), Roberto Brandão, 52 anos, recebeu na tarde de terça-feira (11) o título de cidadão ludovicense na Câmara Municipal de São Luís. A iniciativa de homenageá-lo partiu do vereador Marcial Lima (PEN).
Roberto Brandão nasceu em Parnaíba (PI), mas foi registrado em Tutoia, onde morava sua família. É professor do IFMA há 27 anos e foi reeleito, em 2016, para o cargo de reitor da instituição, após a primeira eleição em 2012.
Já com o título de cidadão ludovicense, que foi aprovado por unanimidade pela Câmara, o homenageado fez um discurso de agradecimento. “São Luís faz parte da minha história. Vim morar nessa cidade com 3 anos e meio. Agradeço muito este momento e este título desta cidade que tanto gosto, mas sei que receber esse título não é um reconhecimento derivado apenas de Roberto Brandão. É uma condecoração em nome da figura do gestor do IFMA e do papel que essa instituição desenvolve. Agradeço, portanto, também aos servidores e alunos do IFMA, por este privilégio”, declarou Roberto Brandão. O reitor agradeceu também o apoio de seus amigos e familiares.
Prestação de serviços a São Luís – Segundo Marcial Lima, o título é um reconhecimento pela colaboração do reitor do IFMA no desenvolvimento de São Luís, cidade na qual o instituto mantém três campi. “É uma trajetória de prestação de serviços ao setor da ciência, tecnologia e educação em São Luís e em todo o Estado. O IFMA é hoje uma instituição que se estende por todo o território maranhense e com perspectiva de mais crescimento. Enquanto se fala em crise, o IFMA, com o comando de Roberto Brandão, tem conseguido expandir seu caminho”, disse o vereador.
Cerca de 60 servidores do IFMA participaram da solenidade. A sessão da Câmara foi presidida pelo vereador Honorato Fernandes.  Também participaram da mesa o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão; e o professor do IFMA João Batista Botelho, ex-vereador de São Luís.
O reitor foi acompanhado por sua mulher, Maria de Nasaré Oliveira Ferreira, e de dois de seus filhos, Adriano Brandão, 22 anos, e Maurício Brandão, 25 anos. “Sempre foi um profissional muito dedicado, que não mede esforços para desenvolver seus projetos no IFMA”, destacou Maria de Nasaré Oliveira Ferreira.
A entrega do título também foi reconhecida por colegas de profissão do reitor. A diretora de Gestão de Pessoas do IFMA, Valéria Carvalho Martins, destacou que o título é prestado em homenagem a pessoas que tenham prestado benefícios à cidade. “É uma homenagem justa a um habitante que tem contribuído com a sociedade e se dedica ao trabalho do IFMA aqui em São Luís”, destacou.
Trajetória
A carreira de professor de Roberto Brandão foi iniciada na Universidade Estadual do Maranhão (Uema), em 1988. Formado em Geografia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA), ele é doutor em Geoprocessamento pela Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho de Rio Claro – SP (Unesp) e mestre em Análise da Informação Espacial (Unesp).  Possui artigos publicados em Anais de Congressos e em revistas especializadas da área com conceito “A” da Capes.
No campo político, participou do movimento secundarista estudantil na luta pela meia-passagem em São Luís (MA) e foi presidente do Diretório Acadêmico do curso de Geografia da UFMA.
No IFMA, também exerceu a função de pró-reitor de Planejamento e Administração entre 2008/2012. Antes, foi coordenador de Planejamento do CEFET Maranhão (2004/2008) e chefe do Núcleo de Planejamento e Desenvolvimento do CEFET (98/99). A sua experiência gerencial iniciou-se na então Unidade Descentralizada do CEFET em Imperatriz como chefe do Departamento de Administração (94/95) e diretor de Administração (95/97).
O Conif, entidade que preside desde fevereiro deste ano, congrega 41 instituições de ensino em todos os estados, abrangendo 644 campi. Atualmente, a Rede Federal reúne cerca de um milhão de alunos, 70 mil servidores (docentes e técnicos) e 20 mil funcionários terceirizados. Além de 38 Institutos Federais, a Rede Federal é formada por dois Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) e pelo Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Antes de tornar-se presidente, foi diretor financeiro do Conif em 2016 e coordenador nacional do Fórum de pró-reitores de Planejamento e Administração (Forplan/Conif) entre 2008/2012.
O IFMA conta com 33.500 alunos matriculados e mais de 2.700 servidores, distribuídos em 29 campi. A instituição tem 194 professores doutores, 668 mestres, 75 grupos de pesquisa sendo 247 linhas de pesquisa e 14 depósitos de patentes. O IFMA desenvolve ainda 32 programas de extensão, com 256 projetos em 38 cursos.
A instituição oferece 100 cursos técnicos, 38 cursos superiores, dois mestrados e nove cursos de especialização, que chegam a cerca de 100 municípios através dos diversos programas institucionais.