terça-feira, 11 de outubro de 2016

Organizadores de vaquejada, com apoio de alguns deputados maranhenses, defendem a prática de maltrato a animais

Blog da Mônica Alves
Não sei se eu chamaria de absurdo ou vergonha.
A verdade é que sinto até tristeza em escrever esse texto quando me sinto envergonhada por atitudes alheias e que, infelizmente, não sou capaz de mudar.
Manifestação em frente a Assembleia Legislativa. Há ainda os que acham "legal" maltratos a animais
Manifestação em frente a Assembleia Legislativa. Há ainda os que acham “legal” maltratos a animais
Na manhã desta terça-feira, 11, com o total apoio do deputado estadual Vinícios Louro (PR), um grupo de organizadores, frequentadores e amantes do maltrato e sofrimento a animais, diga-se de passagem, a prática da vaquejada, realizou uma manifestação na entrada da Assembleia Legislativa do Maranhão, em defesa da continuidade da vaquejada como atividade esportiva e cultural. A manifestação que quer chamar a atenção além da sociedade civil, quer, também, contar com o apoio de outros parlamentares.
Ora, a prática que tinha sido proibida pelo STF (Supremo Tribunal Federal), por ser considerada uma causa de sofrimento aos animais, ao que parece, não agradou aos organizadores do evento e nem aos praticantes, visto que a atividade movimenta milhões a cada edição. O STF julgou na última quinta-feira (6) por 6 votos a 5 inconstitucional uma lei estadual do Ceará que considerava a vaquejada como evento cultural e esportivo. A decisão abriu caminho para que a atividade também chegue ao fim no restante do país. O argumento da maioria dos ministros é que se trata de uma prática cruel aos animais e fere princípios constitucionais de preservação do meio ambiente.
Manifestantes montados em cavalos
Deputado Vinícius Louro no auge de sua patetice
Deputado Vinícius Louro no auge de sua patetice
Alguns manifestantes foram montados em cavalos, outros a pé ou em cima do trio. O deputado Vinícius Louro não fez muito esforço para fazer a cena mais patética de seu mandato, chegar, também, montado num cavalo. Em quase 2 anos de mandato, se o parlamentar ainda não tinha nenhuma notoriedade em seu mandato, hoje teve, da pior e com o apoio mais desumano possível.
img_9662
Esse é o deputado que é defende MALTRATO a animais – Vinícius Louro     Foto: Elias Auê
No esporte vaquejada, os peões montam em seus cavalos e os fazem perseguir bois, até que estes são derrubados no chão e arrastados pelo rabo. Muitos quebram as patas e são sacrificados após o ‘esporte’ dos peões. Além do choque elétrico que eles levam para poder ir para a frente. Eles têm os chifres cortados para poder não furar os cavalos. Isso não é cultura nem esporte. Isso é crueldade!
Nota emitida pelo presidente da Associação dos Criadores do Maranhão
O presidente da Associação dos Criadores do Maranhão, Ivaldeci Mendonça, em nota distribuída nesta segunda-feira (10), manifesta apoio da entidade aos organizadores, criadores e praticantes dessas competições.
Em sua nota, Ivaldeci diz que “em razão do julgamento no STF, da ação direta de inconstitucionalidade, que julgou inconstitucional Lei do Estado do Ceará que regulamentava a vaquejada, necessário se faz a Ascem firmar posicionamento. Embora respeite a decisão do STF, dela discordo integralmente”.
Ainda segundo Ivaldeci, o problema é de âmbito nacional e a Ascem não se furtará à defesa dos interesses da vaquejada, sempre com equilíbrio, serenidade e firmeza. Ele disse que está tentando realizar uma reunião com a federação e as associações ligadas a vaquejada “para planejarmos e executarmos as ações necessárias”.