sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Com uma longa trajetória no samba, há mais de 20 anos Eraldo Ébano retorna ao estilo musical com gosto de gás


ebano
Desta vez, com o projeto Samba de Gafieira, a nova tendência das sextas à noite em São Luis, que conta com apresentação de clássicos do samba e do choro, estilo o samba da Lapa no Rio de Janeiro.É um samba dançante, ao som de cavaquinho, violão, trombone de vara, pandeiro e percussão, onde são interpretados sambas de grandes compositores brasileiros e choros de Zé da velha, Osmar do trombone, Waldir Azevedo, dentre outros.
Nessa nova trajetória de sua carreira Eraldo Ébano conta com a participação de quatro músicos para somarem com ele neste projeto; Preto Joia no violão de 06 cordas e voz, Hugo Reis no trombone de vara, Sesse das Candongas no surdo e voz e Valdico Monteiro no pandeiro e percussão. Músicos também com uma longa trajetória.
Trajetória
O nome Eraldo Ébano é um nome artístico devido ao grupo de Samba Ébano, onde Eraldo fez parte durante quase 20 anos, assim como também já fez parte de outros grandes grupos de samba aqui em São Luís, como o Sem Dimensão, Aquarela e Ponto Sem Nó.
Eraldo Ébano é dono muitas composições, inclusive algumas de suas composições estão no CD divulgação do Grupo Ponto Sem Nó, como é o caso do samba chamado ironias.
Agora em carreira solo, Eraldo Ébano pretende ano que bem lavar seu primeiro CD e assim apresentar ao seu público suas inúmeras composições musicais.
Eraldo Ébano faz show todas as sextas no Arapuca Bar e Restaurante Pub, no Cohajap com o projeto Samba de Gafieira, a partir das 20h.