quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Wellington 11 firma compromissos com profissionais da Atenção Básica



Enfermeiros declararam apoio ao candidato progressista e apresentaram dados alarmantes sobre o setor. Só para citar um exemplo, das 110 unidades de saúde da capital, 65 tiveram os recursos federais bloqueados pelo Ministério da Saúde em função da má gestão praticada por Edivaldo Jr.



O deputado estadual e candidato a prefeito da coligação “Por Amor a São Luís”, Wellington 11 (PP), firmou nesta última terça-feira (20), durante reunião com enfermeiros e enfermeiras que trabalham na rede municipal de saúde da capital, compromissos para reestruturar e fortalecer o setor da Atenção Básica; e garantir melhorias [de trabalho e salariais] para categoria.

No encontro, além de declararem voto no candidato progressista, os profissionais da enfermagem, dos sete distritos da estratégia da saúde da família, revelaram dados alarmantes que mostram o verdadeiro estado de caos da saúde pública de São Luís. Também estiveram presentes na reunião representantes do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde.

A categoria apresentou a Wellington, que estava acompanhado do seu candidato a vice-prefeito, vereador Roberto Rocha Júnior (PSB), suas principais reivindicações. Todas foram prontamente aceitas pelo candidato e constam no seu próprio plano de governo. São elas: isonomia salarial; incorporação dos adicionais através da implantação de um plano de cargos, carreiras e vencimentos; garantia de condições mínimas de trabalho; restruturação e informatização [com implantação do prontuário eletrônico] das Unidades Básicas de Saúde; garantia de equipamentos, medicamentos e outros insumos estratégicos, dentre eles veículos para realização de visitas domiciliares.

“São reivindicações justas e que já constam no nosso plano de governo. Além dos compromissos assumidos, faremos mais: realizaremos concurso para os agentes comunitários de saúde; implantaremos uma unidade específica para atendimento de queimados; iremos recuperar a infraestrutura das unidades, mantê-las em bom funcionamento, garantir os insumos necessários e construir novas. Faremos tudo isso e muito mais visando fortalecer o setor da Atenção Básica e desafogar o atendimento de média e alta complexidade. Recursos existem. O problema é que são mal aplicados pelo atual gestor”, afirmou Wellington.

A enfermeira Silvia Nava disse que, infelizmente, o atual prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) não dialoga com a categoria. Explicou que, além de não ouvir os profissionais, não investiu no setor da Atenção Básica, situação que colocou São Luís na condição de uma das capitais brasileiras com os piores índices neste setor.

Só para se ter uma ideia do desleixo do atual prefeito para com o setor e seus profissionais, das 110 unidades de saúde da capital, 65 tiveram os recursos federais bloqueados pelo Ministério da Saúde em função da má gestão praticada por Edivaldo Jr.

“A realidade é que precisamos de mudança. E mudar significa eleger como o próximo prefeito de São Luís o deputado Wellington”, disse.

Caos na Atenção Básica – Os profissionais apresentaram dados sobre os indicadores negativos da Atenção Básica gerida por Edivaldo Jr. O levantamento foi feito com base em informações da plataforma Data SUS e da revista Estudos Avançados, da Universidade de São Paulo (USP), uma das publicações científicas mais renomadas do país.

No programa de combate a hanseníase, São Luís aparece na primeira colocação negativa na taxa de incidência, com 4,9 casos para cada 100 mil habitantes. No combate à doença em pacientes menores de 15 anos, a capital é a segunda pior do Brasil, com dois casos para cada dez mil habitantes.

No combate a tuberculose, São Luís também figura entre as cinco cidades com os piores desempenhos, com 46,5 casos para cada 100 mil pessoas.

No quesito abandono do tratamento contra tuberculose, a capital apresenta o segundo pior índice do país, com 15,3%, resultado da inoperância e da falta de investimentos no setor por parte de Edivaldo Holanda Júnior.

Para Roberto Rocha Júnior, as informações apresentadas pela categoria mostram que, ao contrário do que tenta passar em sua propaganda paga, o atual prefeito não tem competência para gerir e não pode continuar penalizando a população ludovicense.

“Precisamos de um prefeito comprometido, atuante e que tenha disposição para enfrentar os problemas e resolvê-los. O companheiro Wellington reúne todas essas condições para ser o prefeito que mais irá investir no setor da Atenção Básica”, comentou.