sábado, 3 de setembro de 2016

Escutec confirma Ibope: Wellington no 2º turno com Edivaldo


Edivaldo segue líder, com Wellington em 2º e Eliziane estagnada em, 3º
Edivaldo segue líder, com Wellington em 2º e Eliziane estagnada em, 3º
Pesquisa Escutec, publicada na edição deste fim de semana do jornal O Estado do Maranhão, confirmou a vice-liderança de Wellington 11 na disputa pela Prefeitura de São Luís. O candidato da coligação “Por Amor a São Luís” iria para o segundo turno com o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) se a eleição fosse hoje.
Com 30,6% de intenção de votos, Edivaldo se mantém à frente. Em segundo na preferência do eleitorado, Wellington registrou 19,5% no levantamento, seguido pela deputada federal Eliziane Gama (PPS), com 18,5%. Os números apurados pelo Escutec confirmam o resultado da pesquisa Ibope divulgada no último dia 30, em relação aos três principais candidatos à sucessão municipal na capital maranhense.
A pontuação dos demais candidatos apurada pela Escutec foi a seguinte: Eduardo Braide (PMN) obteve 6,5% de intenções de voto. Fábio Câmara (PMDB) registrou 4,1% e Rose Sales (PMB), 4%. Zeluís Lago (PPL) marcou 1%, enquanto Cláudia Durans (PSTU) e Valdeny Barros (PSol) não pontuaram.
Rejeição
No quesito rejeição, Edivaldo continua imbatível. Nada menos do que 36,9% dos entrevistados disseram que não votam no prefeito em hipótese alguma. O percentual é apenas um décimo menor do que o apurado pelo Ibope, há quatro dias.
Com 22,1%, Eliziane Gama é a segunda mais rejeitada dentre os nove candidatos a prefeito de São Luís. O índice de rejeição de Wellington é de 6,4%, quase seis vezes menor que o de Edivaldo e quase quatro vezes menos que o de Eliziane. Com 3%, Fábio Câmara, Eduardo Braide e Rose Sales estão empatados nesse quesito, enquanto Zeluís Lago, Valdeny Barros e Cláudia Durans registraram 2,6%, 1,6% e 1%, respectivamente.
A pesquisa, contratada por O Estado, ouviu 800 eleitores entre 31 de agosto e 1º de setembro. O intervalo de confiança é de 95%, com margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo nº MA 01182/2016