quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Juntos e misturados

301 dom 120616 HA campanha eleitoral começou com a evidência de um fato que vinha se desenhando nos bastidores: os candidatos a prefeito de São Luís – nenhum deles – poderá se apresentar como independente ou sem vínculo com grupos políticos ou chefes de poder. Afinal, em todas as principais coligações têm gente de todas as correntes políticas.
Nesta salada política, há, por exemplo, militantes do PT,  que está coligado com Edivaldo Júnior (PDT), e do PSB, da aliança em torno de Wellington do Curso (PP), em campanha aberta pela eleição de Eliziane Gama (PPS). Membros do PV, por sua vez, oficialmente alinhado ao projeto da popular-socialista, estão na campanha de Wellington.
Em todas as campanhas há membros do chamado grupo Sarney e membros do governo Flávio Dino (PCdoB).
 Os sarneysistas com Edivaldo são Gastão Vieira (Pros), Pedro Fernandes (PTB), Juscelino Filho (DEM), Hélio Soares (PR) e uma centena de candidatos a vereador. Já os que somam com Eliziane são Sarney Filho (PV), Edinho Lobão (PMDB), Adriano Sarney (PV), Aluísio Mendes (PTN), Márcio Coutinho (PRTB) e Maura Jorge (PTN).
Wellington do Curso recebeu o apoio dos sarneysistas André Fufuca (PP), Cláudio Trinchão (PSD) e Edilázio Júnior (PV).
O PCdoB de Flávio Dino tem a vice de Edivaldo Júnior, além dos aliados do PT e do PDT. Mas há membros do governo Flávio Dino, como o vice-govenador Carlos Brandão (PSDB) e os secretários Marcelo Tavares (PSB) e Simplício Araújo (SD) também na campanha de Eliziane. E um dos principais aliados do governador atualmente, o deputado Waldir Maranhão (PP) é do mesmo partido de Wellington do Curso.
Assim será a campanha em São Luís, com os membros dos dois principais grupos políticos maranhenses espalhados nas três principais candidaturas. Tudo junto e misturado.
Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão