sábado, 9 de julho de 2016

UFMA e EMAP dialogam sobre projeto de navio-escola para a universidade


Parceria entre as duas instituições é o primeiro passo para que a universidade possa abrigar o navio-escola pleiteado junto ao MEC

Foto UFMA e EMAP dialogam sobre projeto de navio-escola para a universidade
SÃO LUÍS – A reitora da Universidade Federal do Maranhão, Nair Portela, reuniu-se na manhã desta sexta-feira (08) com o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Ted Lago, para tratar de um termo de cooperação técnica que possibilitará a utilização do Porto do Itaqui como ancoradouro de um navio-escola pleiteado pela universidade junto ao Ministério da Educação (MEC). A proposta é que a UFMA seja a guardiã do navio-escola, que também atenderá às necessidades de formação profissional das universidades federais do Piauí (UFPI), Par á (UFPA) e Amazonas (UFAM).
Segundo a reitora Nair Portela, o convênio discutido entre as duas instituições é o primeiro passo para que a universidade consiga abrigar o navio, que funcionará como laboratório para os cursos de oceanografia, engenharia de pesca e biologia, entre outras áreas. “Avançamos no primeiro ponto, com a aceitação da nossa proposta pelo presidente Ted Lago, pois também será importante para o desenvolvimento do porto. Agora temos que mostrar às demais universidades que o Maranhão possui uma boa localização e que isso favorecerá a relação com as instituições federais”, declarou a reitora.
Na reunião, foi definida a criação de uma equipe multissetorial com representantes da UFMA e da EMAP para definição de projetos de médio e longo prazo, dentro das necessidades que as instituições desenvolverão juntas em relação ao navio-escola. Também foi discutida a contribuição da UFMA em estudos de monitoramento ambiental, estudo das correntes, assoreamento do canal do porto e da bacia de evolução que, segundo o presidente da EMAP, são áreas vitais para a produtividade do porto.
“A parceria com a UFMA é essencial para o desenvolvimento do Porto do Itaqui, que apresenta características quase únicas no Brasil desde a sua profundidade até às variações de correntes. No caso da embarcação, daremos todo o apoio necessário, pois esperamos utilizá-la em diversos projetos, principalmente nesse atual momento de expansão pelo qual o porto está passando, tanto em relação à infraestrutura quanto à capacitação de pessoal”, afirmou Lago.
Para o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Oceanografia (PPGOcenado) da UFMA, Marco Valério, com a possível vinda do navio-escola a universidade se tornará um grande centro de formação de profissionais ligados à área. “Avançaremos em nossas pesquisas principalmente na parte do oceano, porque teremos uma embarcação que permitirá aos nossos alunos se deslocarem de forma segura para fazer pesquisas em alto mar, contribuindo não só para a graduação como também para a pós-graduação”, disse.
Ainda de acordo com o coordenador, o projeto também prevê que as universidades envolvidas no acordo compartilharão as despesas do navio-escola. “O próximo passo será mostrar as potencialidades da universidade em relação ao navio-escola e as características do estado, na reunião com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes)”, explicou Marco Valério.