sábado, 25 de junho de 2016

“Se o partido resolver ter candidatura própria, com certeza disputarei”, diz Sérgio Frota


O deputado estadual e presidente do Sampaio Corrêa Futebol Clube, Sérgio Frota, declarou ao Blog do Ligeiro, que está preparado para ser o nome do PSDB na disputa pela Prefeitura de São Luís em outubro próximo, se o partido resolver seguir com candidatura própria. A afirmação foi dada na tarde, desta quinta-feira 23, em conversa sobre a possibilidade da legenda estar reavaliando a aliança com a pré-candidatura da deputada federal Eliziane Gama (PPS) para o pleito.
“Se o partido resolver ter candidatura própria, com certeza disputarei. Tenho certeza que estou preparado para discutir o planejamento de políticas públicas para uma São Luís melhor”, declarou.
Desde que o PSB deixou a aliança com o PPS para fechar apoio com a pré-candidatura de Wellington do Curso (PP), alguns membros do tucanato maranhense passaram a ver a garantia da vaga de vice na chapa de Gama ameaçada. A ameaça surgiu após rumores de encontros e conversas entre a pré-candidata e caciques do PMDB maranhense que, não satisfeitos com o baixo desempenho do vereador Fábio Câmara na disputa, voltaram a namorar Gama. Com a estagnação da pré-candidata nos últimos levantamentos de intenção de votos, confirmada mais uma vez pela pesquisa do Instituto Prever, esta ameaça cresceu, levando alguns tucanos a reavaliarem, nos bastidores, se mantém a aliança com Gama ou se o partido volta a trabalhar pré-candidatura própria.
Antes de fechar com a pré-candidata do PPS, há cerca de um mês, o PSDB — leia-se o vice-governador Carlos Brandão e o suplente de senador Pinto Itamaraty — vinha disputando forte estas eleições com pelo menos três pré-candidatos, o deputado federal e ex-prefeito João Castelo, o secretário e Estado de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista, e o próprio Sérgio Frota, que nunca engoliu a forma como a aliança foi feita. Segundo o parlamentar informou, o acordo foi feito sem qualquer comunicação aos pré-candidatos e outros lideranças do partido.
“Não sei o que Brandão e Pinto objetivaram com a retirada do PSDB. O acordo foi feito sem comunicação aos deputados estaduais e vereadores”, declarou.
Apesar da aliança entre Gama e o PSDB ter sido feita em um acordo nacional, o romance segue abalado. A confusão — soma-se aí as investidas públicas de Pinto contra o vereador Joaquim Joaquim — deve seguir durante este fim de semana.