sábado, 14 de maio de 2016

Novo governo muda correlação de forças políticas no Maranhão


temer
A mudança de presidente no Brasil alterou, automaticamente, a correlação de forças políticas no Maranhão. Com a ascensão do peemedebista Michel Temer ao comando da nação, novos atores maranhenses também foram alçados à condição de interlocutores do estado, fazendo o contraponto direto ao governador Flávio Dino (PCdoB), que decidiu-se pela oposição ao governo Temer.
E as mudanças terão influência direta nas eleições de 2018, quando Dino disputará a reeleição e se abrirão duas vagas no Senado. Na função de ministro do Meio Ambiente, o deputado federal Sarney Filho (PV) ganha cacife no mesmo patamar de Flávio Dino em Brasília – ou até maior, dependendo das circunstâncias.
O ex-candidato a governador Edinho Lobão (PMDB), por sua vez, ganha importante tribuna no Senado Federal para o contraponto às ações do governador comunista. A dobradinha Sarney Filho/Edinho Lobão, inclusive, já é cogitada, inclusive, para o embate eleitoral de 2018.
Os próprios aliados de Flávio Dino, como o ex-governador e atual deputado José Reinaldo Tavares (PSB) – reconhecem que o comunista extrapolou em sua “postura guerrilheira”, o que pode gerar fechamento de portas ao Maranhão em Brasília.
Mas os novos atores também já começam a tratar de reconstruir as pontes quebradas por Flávio Dino. Sarney Filho deixou claro, em sua primeira entrevista como ministro, que vai tratar diretamente com Temer sobre a questão Maranhão. E disse que uma das condições para assumir o ministério foi a garantia de que o presidente manterá os programas sociais, que têm forte penetração no estado.