quarta-feira, 4 de maio de 2016

Deputados apontam falta de prestígio de Dino após liberação de R$ 619 milhões ao Ceará

oposiçãoO Estado – A bancada de oposição na Assembleia Legislativa apontou falta de habilidade política e de prestígio do governador Flávio Dino (PCdoB), junto ao Governo Federal, após a presidente Dilma Rousseff (PT) ter encaminhado aporte de mais de R$ 619 milhões para o estado do Ceará, e absolutamente nada para o Maranhão.
A concepção de falta de prestígio de Dino, e de espaços para o Maranhão na plataforma de prioridades do Governo Federal, se deu da comparação entre a militância política praticada no âmbito nacional pelo comunista, em favor do mandato de Dilma, e a escassez de investimentos da União no estado.
Nas semanas que antecederam a votação da admissibilidade do processo de impeachment na Câmara Federal, Flávio Dino protagonizou uma espécie de campanha nacional em defesa da petista. Acusou a oposição de golpista, discursou com um exemplar da Constituição nas mãos, apontou falhas na Operação Lava Jato, confrontou o juiz Sergio Moro e criticou a postura do vice-presidente Michel Temer (PMDB) e do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB).
Para a bancada de oposição, nada disso adiantou. Apesar de toda a movimentação de Dino, o Maranhão continua sem investimentos, em seu governo, por parte do Executivo Federal.
Andrea Murad 3“O governador Flávio Dino se preocupou com o mandato da presidente Dilma, mas esqueceu do Maranhão. Esqueceu das prioridades do nosso estado e de tentar, junto à União, recursos para a conclusão de obras importantes, como a duplicação da BR-135. E, se tentou ou não, a falta de investimentos do Governo Federal no Maranhão só atesta o seu desprestígio junto a presidente. Dino militou em defesa de Dilma, mas sequer é enxergado em Brasília. O Maranhão deixou de existir na pauta de prioridades da União”, disse o deputado Edilázio Júnior (PV).
“O governador, ao que tudo indica, não tem habilidade política, muito menos espaços com a presidente da República, e isso é ruim para o Maranhão”, completou.
Impeachment – A líder do bloco de Oposição, deputada Andrea Murad (PMDB), elencou as razões para a falta de investimentos da União no estado. “Ela [Dilma] é ingrata com o Maranhão, estado que deu a maior votação no país para ela. E uma das razões disso pode ser a sua decepção com o Flávio Dino, uma vez que ele não obteve os votos que prometeu a ela contra o processo de impeachment na Câmara Federal. Ele não conseguiu cumprir”, enfatizou.
O deputado Sousa Neto (PROS) também considerou que Dino está sem espaços no Governo Federal. “Mostra que o governador do Maranhão não tem interesse e nem habilidade política para resolver os problemas que assolam o nosso estado”, finalizou.
O Estado entrou em contato com a Secretaria de Estado da Comunicação para tratar do tema, mas até o fechamento desta edição, não houve resposta.
Outro lado
O governador Flávio Dino jamais condicionou a defesa do mandato constitucional da presidente Dilma Roussef à contrapartidas de recursos. Manifestou posição política e jurídica clara acerca de um tema que considera grave, qual seja, o impedimento de um mandato presidencial sem que a presidente tenha cometido crime de responsabilidade.
O governo tem realizado parcerias com o governo federal e agora mesmo continua a requerer e a obter recursos para o Maranhão, a exemplo do que fez na última segunda-feira (2), em convênio com o FNDE/Ministério da Educação para aquisição de 64 ônibus escolares (R$ 11.700.000); assinatura do Programa ‘Segunda Água’, orçado em R$ 40 milhões; assinatura do PAA Alimentos, de R$ 3.250.000; e R$ 14.400.000 para ACT do ‘Mais IDH’.