quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Vinicius Louro sai em defesa do Rio Mearim e quer audiência pública com a Termoelétrica ENEVA




O deputado estadual Vinicius Louro (PR), saiu em defesa da preservação do Rio Mearim em seu discurso na tribuna na Assembleia Legislativa na última quarta (24). O parlamentar fez um pedido para a Comissão de Meio Ambiente para que seja marcada uma audiência pública com a participação da Termoelétrica ENEVA para que seja esclarecido qual plano a empresa apresentará para a preservação do Rio Mearim em contrapartida à exploração da água para geração de energia.
“Não estou aqui para evitar o progresso de nossa região, mas para que faça valer todos os compromissos que a empresa fez ao receber a outorga para a retirada das águas do Rio Mearim, que eles têm que cumprir. Nunca houve nenhum investimento, nenhuma árvore plantada no Rio Mearim por esta empresa, nenhum investimento sequer na nossa região. Temos uma grande problemática que é o desmatamento. Nós sabemos também do problema da CAEMA que pega a água do Rio Mearim e devolve em forma de esgoto e nisso não há também investimentos, nosso Rio Mearim está morrendo e não irá aguentar tanta exploração sem medidas eficazes de preservação. Como representante do Povo do Médio Mearim quero convocar a Comissão do Meio Ambiente em caráter de urgência” explicou Vinicius Louro.
O parlamentar ressaltou ainda que nesta audiência estejam prefeitos, câmaras de vereadores, representantes da termoelétrica e Ministério Público Estadual e das Cidades e do secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Marcelo Coelho.

“Já entrei em contato com o Sérgio, técnico representante da ENEVA, já entrei em contato com a Secretaria de Meio Ambiente. Estou entrando em contato com o Ministério Público Estadual, convidando todas as Câmaras de Vereadores, Prefeitos, todas as entidades responsáveis, para a gente ver qual é o compromisso que a empresa ENEVA terá com os municípios que são banhados pelo Rio Mearim. Nós não podemos aceitar que o Estado dê outorga à liberação do funcionamento dessa termoelétrica sem prever os gastos necessários e comprometimento de preservação que eles fizeram com o Ministério Público e a sociedade”, finalizou o parlamentar.