terça-feira, 10 de novembro de 2015

Sebastião Uchôa teme receber o mesmo destino de Stênio Mendonça

Sebastião Uchoa é delegado de Polícia Civil
Sebastião Uchoa é delegado de Polícia Civil
O delegado de Polícia Civil, Sebastião Uchôa, fez grave denúncia ontem, por meio de seu perfil, em rede social, após ter sido removido da Delegacia Especializada do Meio Ambiente.
Ele afirmou que o Poder Executivo utiliza o expediente de lotação de servidores – no caso dele, especificamente -, por conveniências políticas e disse temer ter o mesmo destino dodelegado Stênio Mendonça, assassinado na Avenida Litorânea em 1997 após investigar uma quadrilha de roubo de cargas que atuava no Maranhão, caso que envolveu algumas autoridades do estado na ocasião.
A denúncia é grave no mínimo intrigante.
“O Executivo brinca de lotação e exercícios deles ao seu bel prazer e conveniências políticas ou até mesmo em caráter de cunho pessoal, às vezes por meio de seus intermediários assessores […]. O perigo de os Delegados de Polícia não terem inamovibilidade é o que estamos assistindo:  recentemente acionamos a nossa entidade de classe (ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL DO MARANHÃO -ADEPOL/MA) denunciando um grave caso ocorrido e lhe pedindo providências, onde até o presente como nada fizera, fomos surpreendidos com a estranha e direcionada remoção em menos de dez meses de lotação, sem qualquer motivação administrativa, inclusive nos colocando em sério risco à integridade física, dando ensejo a uma série de interpretações, particularmente para se ver “livre” ao estilo que fizeram com o falecido Stenio Mendonça (pelas investigações da época, muitos sabiam que o referido delegado estava cotado a morte assassinada) ou uma imaturidade pela falta de preparo administrativo a altura? Precisam explicar isso além do poder discricionário da gestão”, comentou Uchôa.