terça-feira, 24 de novembro de 2015

Mais uma ação da Polícia Federal no Maranhão



Neste momento a Polícia Federal está desencadeando uma ação conjunta com o Ministério do Trabalho e Previdência Social e Ministério Público Federal, órgãos que integram a Força-Tarefa Previdenciária. A ação foi deflagrada na manhã desta terça- ­feira, 24, a "Operação Quilópode", com a finalidade de reprimir crimes previdenciários, nas cidades maranhenses de São Luís, Caxias, Codó, Vargem Grande, Presidente Dutra, Barreirinhas e Paço do Lumiar, e em Teresina (PI).

As investigações, iniciadas no ano de 2012, levaram à identificação de um esquema criminoso no qual eram falsificados documentos públicos para fins de concessão de benefícios de Amparo Social ao Idoso, cujos titulares eram pessoas fictícias criadas pela associação criminosa para possibilitar a fraude.

A organização criminosa atuava desde 2010 e contava, ainda, com a participação de um servidor do INSS, responsável pela concessão e atualização dos benefícios, além de funcionários do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios, que atuavam na abertura de contas correntes, na realização de prova de vida, na renovação de senhas bancárias e na efetivação de empréstimos consignados. 

O prejuízo inicialmente identificado é de quase R$ 11 milhões, considerando­-se os valores pagos a benefícios cujas contas bancárias encontram-­se sediadas em cidades que integram a circunscrição da Delegacia de Polícia Federal em Caxias (MA). A Operação contou com a participação de 100 Policiais Federais e cinco servidores da Assessoria de Pesquisa Estratégica e de Gerenciamento de Riscos (APEGR), vinculada ao Ministério da Previdência Social. 

Estão sendo cumpridos 10 mandados de prisão preventiva, 22 mandados de busca e apreensão e cinco mandados de condução coercitiva, além do sequestro e arresto de bens e valores. Dentre os mandados judiciais consta, ainda, a determinação para que o INSS suspenda o pagamento de 288 benefícios assistenciais com graves indícios de fraude, submetendo­os a procedimento de auditoria. 

A palavra Quilópode, que dá nome à Operação, tem origem grega que significa "aquela que tem mil patas", em alusão ao esquema criminoso que apresentou grande ramificação e envolvimento de órgãos públicos federais e instituições financeiras.